segunda-feira , dezembro 10 2018
Início / PERFIL / Como administrar a pressa e o sentimento de urgência dos dias atuais

Como administrar a pressa e o sentimento de urgência dos dias atuais

“A pressa e o sentimento de urgência são comportamentos característicos de nossa época”. Essa é a visão do autor do livro “Lições da Bíblia para o sucesso no trabalho”, Rodney Betetto [foto].

Em entrevista ao Portal Dedução, o engenheiro, contador e escritor comenta como que, mesmo diante de diversas situações estressantes e o excesso de tarefas, há formas para melhorar a qualidade de vida, e uma delas é o planejamento.

Para ele, “planejamento eficiente é indispensável para o correto aproveitamento do tempo. Logo que você tiver ciência de que algo lhe será delegado para fazer, estabeleça prazos e divida o trabalho em etapas dentro desse cronograma. Priorize o que é mais importante ou que possa lhe causar mais dificuldade, e deixe para a frente, quando o tempo já estiver mais curto, aqueles detalhes que você será capaz de resolver com mais facilidade”, afirma o autor. 

Administrar bem o tempo é um dos principais desafios dos empreendedores atuais?

Com certeza. A gestão do tempo é chave para o sucesso de um empreendimento. Quer alguns exemplos? Qual a sua reação ao contratar um serviço, ou a produção de algum bem, combinar o momento da entrega e na data marcada receber como resposta que o serviço não está pronto, que não houve tempo suficiente, que aconteceram alguns contratempos? Que dizer daquele empresário que, na ânsia de vender e realizar novos negócios, ele vai fechando diversos acordos, sem dimensionar sua capacidade de produção e o tempo necessário, e depois fica desesperado por não dar conta em atender todos os pedidos. A primeira impressão é a que fica. Quando uma empresa começa desorganizada, dificilmente conseguirá impressionar positivamente seus clientes. Portanto, administrar o tempo é o desafio que precisa ser dominado.

Como um contador pode ajudar o empreendedor nesta tarefa?

O contador é um gestor. Ele precisa conhecer o empreendimento dos seus clientes. Além de manter um rígido controle das obrigações fiscais e acessórias de cada empresa, ele deve estar pronto a auxiliar na organização dos processos produtivos e administrativos de cada negócio, buscando melhorias em produtividade e rentabilidade. Afinal, o sucesso do empreendedor é o sucesso do contador também.

Compromissos e trabalhos cotidianos devem ser cumpridos de forma sistematizada para evitar que o negócio se afunde. O que pode se refletir de forma negativa na produção e no faturamento?

Um bom aproveitamento de tempo exige compromisso com organização e disciplina. Sistematizar significa separar, classificar e organizar as atividades. Tem muita gente – principalmente pequenos empresários – que ainda teimam em confiar somente na memória ou nas anotações de caderneta, mas quem quer crescer precisa amadurecer, tornar-se mais responsável. Existem tantos avanços tecnológicos que podem ser utilizados para melhorias na organização; sistemas que controlam produção, custos, vendas; agendas, controles financeiros.

Como profissional da contabilidade, o que levou o senhor a escrever o livro “Lições da Bíblia para o sucesso no trabalho”?

Passar adiante. Meu sucesso no trabalho sempre esteve ligado com minha vida espiritual. Assim como precisamos ser ensinados numa faculdade, fazer cursos, estágios, para se tornar um profissional habilitado, percebi que precisamos de um manual de instruções para uma vida bem resolvida. Ora, onde podemos encontrar este manual? Qual o livro mais divulgado, impresso e vendido em todo o mundo? A bíblia é mais que um compêndio, mais que uma enciclopédia, e nela podemos obter instruções claras, exemplos e testemunhos das melhores práticas, e também, exemplos daquilo que não se deve fazer, devido as consequências desastrosas. Através da Bíblia e do relacionamento com Deus, nosso trabalho adquire melhor consistência.

Diante da complexidade do trabalho do contador atualmente, o que o senhor recomenda a esses profissionais no quesito administração de tempo?

A gestão do tempo implica num aprimoramento por parte do contador em quesitos ligados a organização, planejamento, delegar funções e atividades, atualização do conhecimento, disciplina. O profissional precisa se especializar na classificação das atividades, identificando as que são urgentes, importantes, estratégicas, básicas, essenciais, criando o seu próprio modelo de gestão.

Tempo é dinheiro?

No evangelho escrito por Mateus, capítulo 25, versículos 14 a 30, Jesus nos conta uma parábola com vários ensinamentos sobre administração do tempo, gestão de recursos alheios, empreendedorismo, iniciativa, inovação, criatividade, e onde fica claro que “tempo é dinheiro”. Um homem prepara seus principais colaboradores antes de sair em viagem. Cada colaborador recebeu uma quantia muito expressiva em dinheiro, para administrar na sua ausência; um recebeu algo equivalente a quinhentos mil reais, outro recebeu duzentos mil reais e outro cem mil, cada um de acordo com a sua capacidade. São recursos que o “patrão” confiou aos colaboradores, e eles sabiam que haveria o retorno e teriam que prestar contas daquela administração. Eles trabalharam contra o tempo, buscando fazer o melhor com aqueles recursos e se superaram, exceto o que recebeu menos recursos. Chegando o momento da prestação de contas, o primeiro já tinha conseguido duplicar o numerário recebido, entregando um milhão de reais ao homem; o segundo também duplicou seus recursos, entregando cerca de quatrocentos mil reais; estes dois foram recompensados pelo patrão, que exaltou a dedicação e os promoveu. Mas o que havia recebido a menor quantia, teve medo, se acomodou e preferiu esconder seu dinheiro, enterrando-o para se livrar dos ladrões. A reação do patrão foi rígida: “deveria ter aplicado os recursos num banco, para que recebesse os juros da aplicação; agora ele já está desvalorizado”. Aquele colaborador foi despedido e os seus recursos foram entregues ao de maior competência. Ora, as parábolas de Jesus têm aplicação prática em nossa vida, e visam nortear nosso comportamento, ampliando nossa visão, firmando nossa missão e incutindo os princípios e valores essenciais para a realização como ser humano. De acordo com esta parábola, a boa administração do tempo é fundamental, e com certeza, “tempo é dinheiro”.

Da redação

Próximo Post

Sua empresa está apta a lidar com a geração Z?

Ao pé da letra, a geração Z, também conhecida por “millennials” é o significado sociológico que define …