terça-feira , janeiro 22 2019
Início / ECONOMIA / Cooperativas financeiras ocupam municípios onde os grandes bancos não chegam

Cooperativas financeiras ocupam municípios onde os grandes bancos não chegam

O município de Lagoinha, que fica a cerca de 200 quilômetros da capital paulista e tem uma população de aproximadamente 5 mil pessoas, de acordo com o último Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ganhou sua primeira instituição financeira nos últimos dias de 2018. Trata-se de uma agência do Sicredi, um sistema de cooperativas de crédito com mais de três milhões de associados e 1.336 pontos de atendimentos distribuídos pelo país. “A inauguração simboliza a inclusão financeira das pessoas do município que até hoje precisavam se deslocar a cidades vizinhas para ter acesso a serviços financeiros diversos”, diz Edivaldo Del Grande, presidente da Ocesp – Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo e do Sescoop/SP – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de São Paulo.

A presença das cooperativas de crédito nos pequenos municípios tende a crescer pelo Brasil, até pelo próprio desenvolvimento do modelo. Em 576 municípios brasileiros – pouco mais de 10% do total – as cooperativas são a única instituição financeira presente, beneficiando mais de 3 milhões de pessoas, de acordo com dados do Banco Central. “Até dezembro do ano passado, eram 551 municípios nessa situação, com população de 2,92 milhões, ou seja: tivemos um crescimento de 4,5% em relação ao número de municípios e mais de 130 mil pessoas beneficiadas”, conta o presidente. “Já é um reflexo da expansão do cooperativismo em municípios antes desassistidos por outras instituições financeiras”, completa.

Com mais de 5,9 mil unidades, as cooperativas de crédito oferecem a maior rede de atendimento do País e já contam com mais de 10 milhões de associados, de acordo com dados do Banco Central. Del Grande ressalta que a chegada das cooperativas ajuda a impulsionar o comércio local, o empreendedorismo, e a movimentação da economia dentro do próprio município. “É, sem dúvida, de muita relevância para o desenvolvimento local”, diz o presidente, que ainda lembra que os produtos e serviços das cooperativas financeiras são praticamente os mesmos que os bancos também oferecem, mas com a vantagem de se ter taxas bem mais baixas do que nos concorrentes. “Oferecemos liberação de crédito, talões de cheques, cartões, seguros, entre outros serviços”, conclui.

Próximo Post

Saiba quem pode comprar arma de fogo e quais os trâmites

Para legítima defesa, todo cidadão com mais de 25 anos, sem antecedentes criminais, com residência …