terça-feira , janeiro 22 2019
Início / PME / Governo facilita licitações a PMEs

Governo facilita licitações a PMEs

Por Katherine Coutinho

Agora ficará mais fácil para os pequenos empreendimentos fazerem negócios com Governo. A presidente Dilma Rousseff regulamentou nesta quarta-feira (7) o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte, agricultores familiares, produtores rurais pessoa física, microempreendedores individuais e sociedades cooperativas de consumo nas contratações públicas de bens, serviços e obras no âmbito da administração pública federal.

O Decreto Nº 8.538, de 6 de outubro de 2015, foi publicado no Diário Oficial e explica que o objetivo da determinação é promover o desenvolvimento econômico e social no âmbito local e regional, ampliar a eficiência das políticas públicas; e incentivar a inovação tecnológica.

A determinação vale também para os fundos especiais, as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e as demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União.

E atenção: na habilitação em licitações para o fornecimento de bens para pronta entrega ou para a locação de materiais, não será exigida da microempresa ou da empresa de pequeno porte a apresentação de balanço patrimonial do último exercício social.

Mas a comprovação de regularidade fiscal das microempresas e empresas de pequeno porte somente será exigida para efeito de contratação, e não como condição para participação na licitação.

Se a empresa tiver alguma restrição relativa à regularidade fiscal, será assegurado prazo de cinco a dez dias úteis para a regularização da documentação, a realização do pagamento ou parcelamento do débito e a emissão de eventuais certidões negativas ou positivas com efeito de certidão negativa.

Mudanças

Para a ampliação da participação das MPEs nas licitações, os órgãos ou as entidades contratantes deverão instituir cadastro próprio, de acesso livre, ou adequar os eventuais cadastros existentes, para identificar as microempresas e empresas de pequeno porte sediadas regionalmente, juntamente com suas linhas de fornecimento, de modo a possibilitar a notificação das licitações e facilitar a formação de parcerias e as subcontratações.

Além disso, eles deverão padronizar e divulgar as especificações dos bens, serviços e obras contratados, de modo a orientar as microempresas e empresas de pequeno porte para que adequem os seus processos produtivos; na definição do objeto da contratação, não utilizar especificações que restrinjam, injustificadamente, a participação das microempresas e empresas de pequeno porte sediadas regionalmente; deverão considerar, na construção de itens, grupos ou lotes da licitação, a oferta local ou regional dos bens e serviços a serem contratados; e disponibilizar informações no sítio eletrônico oficial do órgão ou da entidade contratante sobre regras para participação nas licitações e cadastramento e prazos, regras e condições usuais de pagamento.

Próximo Post

Conheça o Perfil do jovem empreendedor brasileiro

Um levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com …

Deixe uma resposta