segunda-feira , dezembro 10 2018
Início / PME / Recuperações judiciais retomam alta e sobem 11,3% em novembro

Recuperações judiciais retomam alta e sobem 11,3% em novembro

Segundo o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, em novembro de 2018 foram realizados 118 pedidos de recuperações judiciais, aumento de 11,3% frente ao apurado no mês correspondente do ano passado. A variação mensal também apontou alta de 10,3% relação a outubro deste ano (107 requerimentos). As micro e pequenas empresas responderam pelo maior número de recuperações judiciais requeridas no 11º mês de 2018: foram 71 pedidos, contra 28 referentes às médias e 19 de grandes empresas.

O acumulado de janeiro a novembro deste ano totalizou 1.297 requerimentos de recuperação judicial, e recuou 0,4% na comparação com igual período de 2017. No ano passado, o consolidado de janeiro a novembro chegou a 1.302 ocorrências, e fechou com 1.718 efetuadas o mesmo período de 2016. Os micro e pequenos empreendimentos contabilizaram 793 pedidos no decorrer dos 11 meses de 2018, seguidas pelas médias (303) e pelas grandes empresas (201).

Falências

O número de requerimentos de falências em novembro deste ano avançou 2,5% em relação ao indicador do mesmo mês de 2017 (123 contra 120). Já a variação mensal apontou queda de 12,1% face aos 140 pedidos de outubro deste ano. As MPEs também predominaram em número de falências requeridas (59). As médias empresas somaram 27 pedidos e as grandes, 37 pedidos.

No decorrer de janeiro a novembro de 2018, os requerimentos de falência (1.354) tiveram decréscimo de 15,6% frente ao acumulado correspondente do ano passado. Foram 1.605 pedidos nos 11 meses de 2017 contra os 1.718 efetuados em 2016. Na distribuição do total de falências requeridas por porte de empreendimento, entre janeiro e novembro de 2018, as micro e pequenas empresas responderam por 719 pedidos, seguidas pelas grandes empresas (323) e médias (312).

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, a retomada da alta observada nos indicadores de novembro/2018 e do acumulado dos 11 meses deste ano – após sucessivas quedas nas respectivas variações anuais dos seis meses anteriores – ainda reflete o forte impacto que a estagnação prolongada da economia brasileira exerce sobre a atividade empresarial. Esse cenário fez prevalecer o baixo dinamismo nos negócios, o que só amplificou e agravou as dificuldades financeiras enfrentadas pelas empresas, sobretudo entre os micro e pequenos empreendimentos.

Recuperação Requerida: Quando a empresa entra com o pedido de recuperação em juízo, acompanhado da documentação prevista em lei, e que será analisado pelo juiz. Neste momento, verificará se o pedido poderá ser aceito.

Recuperação Deferida: A documentação foi analisada pelo juiz e está correta e o pedido pode prosseguir para a próxima etapa, que será a apresentação do plano de recuperação, mas isso não significa que a recuperação será concedida.

Recuperação Concedida: Uma vez que passou por todos os passos e cumpridas às exigências de lei, foi acatado o pedido, quando a empresa permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram todas as obrigações previstas no plano.

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações é construído a partir do levantamento mensal das estatísticas de falências (requeridas e decretadas) e das recuperações judiciais e extrajudiciais registradas mensalmente na base de dados da Serasa Experian, provenientes dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados. O indicador é segmentado por porte.

Fonte: Serasa Experian

Próximo Post

Prêmio Professores do Brasil incentiva o empreendedorismo em escolas

Seis educadores da rede pública de ensino receberam nesta quinta-feira (29/11), em solenidade na sede …